NOTÍCIAS

Formação 09:58, 4 mar 2021 Abertura do Ciclo de Formação Pedagógica do Modelo Híbrido de Ensino dá início ao ano letivo de 2021

Abertura do Ciclo de Formação Pedagógica do Modelo Híbrido de Ensino dá início ao ano letivo de 2021

Formação segue nos dias 4 e 5 de março, quinta e sexta-feira, com encontros virtuais nas CREs e nas escolas estaduais

A Secretaria Estadual da Educação (Seduc), por meio do Departamento Pedagógico, promoveu nesta quarta-feira, 3 de março, a abertura da Ciclo de Formação Pedagógica de início do ano letivo de 2021 para a Rede Estadual de Educação.

Com o tema “Formação Inicial do Modelo Híbrido de Ensino em 2021”, a live foi transmitida ao vivo pelo canal do Youtube TV Seduc RS e pela página da Seduc no Facebook com a mediação da diretora do Departamento Pedagógico, Letícia Grigoletto.

A formação segue nos dias 4 e 5 de março, quinta e sexta-feira, com encontros virtuais das Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) com as equipes diretivas e professores de suas escolas; e nas instituições de ensino, de forma virtual, com o objetivo de formar professores e servidores.

“Estamos iniciando o ano letivo com esta formação do Modelo Híbrido de Ensino com o objetivo de conduzir da melhor maneira possível a Educação do Estado no ano de 2021. Demonstrando e debatendo todo o regramento, todas as diretrizes, as metodologias e as competências no contexto escolar deste ano”, destacou o secretário estadual da Educação, Faisal Karam, na abertura do evento.

O encontro também contou com a presença da professora e consultora em Ensino Híbrido, Tamara Bittencourt, que apresentou os conceitos e orientações do Modelo Híbrido de Ensino.

“Em 2020, no início da pandemia, nós passamos por um longo período de mudanças, adaptações e aprendizagens inovadoras para dar continuidade à Educação. Agora, em 2021, nós temos toda essa bagagem e já acumulamos uma experiência que vai nos permitir qualificar o processo pedagógico, desenvolver habilidades e abordar diferentes recursos e metodologias”, afirmou.

Durante a formação, o especialista e pós-doutor em Inovação, Márcio Machado, propôs uma reflexão: a pandemia trouxe novos hábitos ou novas possibilidades para as pessoas? Fazendo uma análise a partir de uma perspectiva histórica, ele refletiu sobre o processo de consumo da informação nos dias atuais.

“As mudanças sociais e tecnológicas estão ocorrendo de forma cada vez mais rápida. As redes sociais e as mídias sociais possibilitam, hoje em dia, o acesso em tempo real das informações. Todo esse cenário inclui as comunidades escolares e a conexão com a escola acontece pelos meios tecnológicos de uma forma totalmente diferente e inovadora de antigamente”, definiu.

O especialista ainda apresentou recursos de Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) educacionais, softwares e ferramentas para aulas síncronas e assíncronas, recursos de inteligência artificial, além de plataformas de compartilhamento de vídeos e fotos com o intuito de explorar a criatividade e o protagonismo dos estudantes nas atividades pedagógicas.

“Fotos e vídeos são recursos muito interessantes. Hoje em dia todos os celulares têm câmera. Isso possibilita que os alunos troquem experiências, que filmem plantas, que tirem fotos das formas geométricas, que façam entrevistas com seus familiares, com profissionais de diferentes áreas. Enfim, uma infinidade de possibilidades que antes não estavam disponíveis de forma fácil”, concluiu.

A consultora educacional e professora Simone Imperatore tratou sobre a importância do processo avaliativo no período de pandemia. “Planejamento e avaliação são funções articuladas da função pedagógica. O planejamento vai fazer uma apuração da realidade de cada escola, da comunidade escolar e de seu território. A partir do reconhecimento dessa leitura territorial, é que nós vamos estabelecer objetivos e metas”, enalteceu.

A diretora do Departamento Pedagógico, Letícia Grigoletto, destacou a importância do novo ciclo de formação pedagógica para o início do ano letivo de 2021.

“O espaço de formação do início do ano letivo é de fundamental importância para que possamos atualizar conceitos e estabelecer diretrizes que nortearão nossa prática pedagógica. É um momento de alinhamento muito importante onde estaremos pactuando nossos objetivos e pensando em ações de impacto em cada região e escola do estado, conforme suas realidades e idiossincrasias. Estamos mantendo diálogos constantes com as Coordenadorias Regionais de Educação (CREs), capacitando os professores para o uso das ferramentas digitais e metodologias ativas, procurando novas possibilidades que favoreçam a aprendizagem e aumentem o engajamento de alunos e professores nesse momento de afastamento causado pela pandemia”, explicou.

Durante o encontro também foram debatidos, entre outros assuntos, os seguintes temas: conceitos gerais do Modelo Híbrido de Ensino, competências socioemocionais, o acolhimento dos estudantes em tempos de pandemia, as competências profissionais no contexto escolar de 2021, metodologias ativas, planejamento pedagógico, a avaliação diagnóstica e a articulação com a comunidade escolar para a formação de redes de apoio.

Presenças

Ainda estiveram presentes no encontro os seguintes representantes: a coordenadora da 2ª CRE, de São Leopoldo, Ileane Bravo; a coordenadora da 7ª CRE, de Passo Fundo, Carine Weber; a coordenadora da 19ª CRE, de Santana do Livramento, Ana Alice Campagnaro; a titular da 24ª CRE, de Cachoeira do Sul, Elaine Dalcin; a titular da 5ª CRE, de Pelotas, Alice Maria Szezepanski; a coordenadora da 14ª CRE, de Santo Ângelo, Rosa Maria de Souza; o diretor do Centro de Gestão e Inovação da Seduc, Silvio Zomer; a diretora adjunta do Departamento Pedagógico, Natália Borges;  a diretora da Escola Técnica Estadual 31 de Janeiro, de Campo Bom, Fabiane de Andrade; a professora da Escola Barão do Quaraí, de Encruzilhada do Sul, Maria Cristina da Rosa; entre outros representantes de escolas estaduais.


Tags: Educação RS Formação Formação Pedagógica Modelo Híbrido de Ensino