NOTÍCIAS

Pernambuco 16:23, 18 mai 2018 Feira de tecnologia movimenta estudantes em São Bento do Una

Foto:

Terceira edição da FETEC, organizada pela ETE Governador Eduardo Campos, pretende apresentar produtos inovadores e inéditos voltados para a comunidade de forma sustentável

Estudantes da Escola Técnica Estadual (ETE) Governador Eduardo Campos, localizada no município de São Bento do Una, Agreste Pernambucano, se reuniram nesta quinta-feira (17), para realizar a terceira edição da Feira de Tecnologia. O evento, que neste ano tem como tema central O desfaio de ensinar e a descoberta do aprender: utilizando as tecnologias a favor de uma aprendizagem significativa, visa apresentar projetos tecnológicos desenvolvidos pelos estudantes voltados para a comunidade com foco na agricultura familiar baseados na proposta sustentável para suprir as demandas nos aspectos sociais, econômicos e ambientais. A feira segue até esta sexta-feira (17) com apresentações culturais, peça teatral, coral, exposição em stands e palestras.

O evento tem o objetivo de fazer com que os estudantes apliquem o que eles vivenciaram em sala de aula e tenham a oportunidade de divulgar o que a escola oferece para a comunidade local. Estão sendo apresentadas atividades pedagógicas que ao longo ano vem sendo produzidas pelos estudantes. Durante a programação, os estudantes contextualizam conteúdos de forma que eles entendam como esses conteúdos possam ser aplicados no cotidiano da comunidade.

Os estudantes das turmas de agroecologia apresentaram o projeto Ecotanque. A ideia consiste na construção de um reservatório hídrico com capacidade para dez mil litros de água, utilizando materiais de baixo custo e impacto ambiental. Durante o período de estiagem na região e com o racionamento de água na escola, a iniciativa assegurou o bom funcionamento do curso para a realização das atividades práticas. Contudo, os estudantes têm a intenção de multiplicar esse projeto para os pequenos e médios agricultores da localidade garantindo, dessa forma, a produção para o sustento da família. Para a construção do reservatório foram utilizados: papelão, areia, cimento, tela aramada e barro.

O estudante do 3° ano, Anderson Pereira, ajudou na construção do projeto e contou que estava muito satisfeito com o resultado do tanque. “Foi uma experiência muito enriquecedora participar da construção desse projeto. Com ele aprendi técnicas que nunca sabia que existia. Não entendia nada de agroecologia e pude aprender essa com essa disciplina no decorrer das aulas teóricas e práticas. É um privilégio muito grande ajudar na construção do Ecotanque”, afirmou.

A escola também possui o projeto Jovem Inventor, que fomenta os estudantes a desenvolverem iniciativas tecnológicas, empreenderas e sustentável. Durante as aulas, os estudantes do 1º ano do curso de redes criaram um sistema de irrigação que reutiliza motores de impressoras, cano de PVC e placas de arduino. A criação irá reutilizar a água do ar-condicionado da escola para a irrigação das plantações feitas pelos estudantes do curso de agroecologia. O protótipo pode ser utilizado manualmente e, futuramente, por aplicativo ou wi-fi. “Tenho aprendido muita coisa com esse projeto. Meu interesse sempre foi em redes de informática e pretendo continuar nessa área assim que terminar meus estudos. Vou continuar buscando coisas novas e inovadoras, de forma sustentável, que possa ajudar nossa sociedade”, expressou o estudante do 1º ano, Igor Teixeira, um dos desenvolvedores do projeto.

No centro do Espaço Germinar existe um canteiro que é tanto funcional como ornamental. O local representa o símbolo da escola, que é uma árvore, com conectores de internet, representando a rede, formando a ligação dos cursos de rede, agroecologia, enfermagem e agronegócio. Na parte externa plantação são semeadas hortaliças. Nos frutos que ramificam seus galhos possuem temperos e plantas medicinais que atuam como repelentes naturais. Portanto, o espaço consegue ter um consorcio de plantas oleícolas e medicinais, além de temperos de forma harmoniosa evitando o uso de pesticidas químicos. 

Além disso, os estudantes criaram o Galinheiro Móvel. A estrutura feita com arame galvanizado e canos de PVC permite uma estrutura leve, fácil de manusear e móvel, para que possa atender às necessidades de pequenos produtores, em geral de base de agricultura familiar, ao passo que possa ser removido para potencializar o uso do pasto e fertilização do solo. Ainda assim, outros projetos estão sendo encaminhados na abordagem da tecnologia alternativa, como a criação de mudas de plantas, da “chocadeira” (um equipamento que substitui o papel da galinha para chocar os ovos enquanto a ela continua pondo ovos ao invés de chocar) e a construção de telhados com garrafas pet.


Tags: Tecnologia Pernambuco PE Rede Estadual PE Educação Pernambuco