NOTÍCIAS

Alagoas 12:10, 21 fev 2018 Professores da rede estadual são selecionados para rede científica apoiada pela embaixada dos EUA

Foto: Valdir Rocha

Ricardo Lisboa e André Pereira participam de seminário da Escola Politécnica da USP de 19 a 23 deste mês

Texto de Manuella Nobre

A rede pública estadual ganhou mais uma ferramenta para fortalecer o fomento à iniciação científica: os professores Ricardo Lisboa e André Pereira foram selecionados para participar de seminário do Programa STEM Tech Camp Brasil 2018, iniciativa da Embaixada Americana e outros parceiros, que visa estruturar uma rede de multiplicadores para articular e aprimorar ações voltadas à aprendizagem nas redes públicas de educação básica no Brasil.

A segunda etapa do encontro acontece de 19 a 23 deste mês, na Escola Politécnica da USP e, na ocasião, será elaborado planejamento estratégico para políticas públicas e ações voltadas a fomentar a aprendizagem ativa de STEM – sigla em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática.

Ricardo Lisboa, supervisor de Políticas Educacionais da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), foi selecionado na categoria Gestores, enquanto André Pereira, professor da Escola Estadual Cônego José Bulhões, em Dois Riachos, foi na categoria professor.

Os participantes do seminário também concorrerão à participação na Intel Internacional Science and Engineering (INTELISEF 2018), na cidade de Pittsburgh, no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, no período de 13 a 18 de maio.

Reconhecimento

Ricardo e André destacam a importância do evento e falam das ações que a Seduc e as escolas estaduais já empreendem no campo da iniciação científica.

“Nesta gestão, alcançamos muitos resultados positivos com a Feira de Ciências do Estado de Alagoas, a Feceal, que tem fomentado essas práticas nas escolas e tivemos agora a disseminação de bolsas no Pibic Jr, em função dos projetos que vêm sendo desenvolvidos. Também intensificamos a formação de professores e a Seduc promoveu melhoria estruturais em laboratórios e outros espaços voltados à prática científica”, enumera Ricardo.

“Sinto-me lisonjeado por esse momento, pois ser selecionado para o programa é reconhecimento do nosso trabalho. Somos do interior do Estado e nossos projetos têm tido destaque, com nossos alunos demonstrando um comportamento diferenciado e interferindo na realidade da escola”, declara o professor André.