Consed critica obrigatoriedade de divulgação do Ideb nas escolas




“A forma como está sendo proposta a divulgação do índice pode trazer resultados indevidos, que agravem mais o desenvolvimento de escolas com resultados ruins.”, disse o secretário.


Segundo Cláudio Ribeiro, afixar a nota do Ideb na porta da escola só faria discriminar e constranger a comunidade escolar, em especial os estudantes.


“Tal medida agravaria o quadro perverso que se formou a partir da importância exacerbada, principalmente por parte da mídia, à questão do ranqueamento entre as escolas, seja em nível nacional ou local”, apontou.


O secretário também ressaltou que a iniciativa proposta traz, por aqueles que a defendem, a medida de incentivar a família participar da vida escolar dos filhos.



“O argumento é nobre. A importância da participação familiar na vida escolar do estudante é fundamental para o seu desempenho. Porém, em vez de estar mais presente na escola, a tendência da família poderia ser apenas tentar transferir os estudantes de uma escola para outra, o que não resolveria as mazelas do ensino.”


A presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Cleuza Repulho, e secretária-geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Marta Vanelli, também participaram do debate e compartilharam da mesma posição do Consed.


Ideb

Criado em 2007, o Ideb calcula aprovação e média de desempenho dos estudantes em língua portuguesa e matemática, seguindo uma escala de zero a dez. O indicador é apresentado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar e médias de desempenho nas avaliações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e a Prova Brasil.


Ascom/Consed

Fotos: Alexandra Martins/Agência Câmara e Luciano Franklin/Consed

10/5/2012



Acompanhe no facebook

Copyright © 2014. Consed - Conselho Nacional de Secretários de Educação. Desenvolvido por ConsisTI