Educação pública de Santa Catarina apresenta importante evolução no IDEB 2011


No ensino fundamental a média nacional nos anos iniciais é 5,1 e em Santa Catarina 5,7, e nos anos finais 3,9 nacional e 4,7 no Estado. A diferença também é vista no ensino médio. Enquanto no Brasil a média é 3,4, em Santa Catarina o índice sobe para 4,0.


Segundo o secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, a evolução é resultado do importante trabalho desenvolvido nas escolas da rede estadual, porém muito ainda se tem a fazer. “Evoluímos, mas temos que aumentar os índices. Vamos trabalhar para atingir indicadores de qualidade equiparados aos indicadores das escolas privadas e a índices de qualidade internacional. Para isso, precisamos organizar as escolas com professores competentes e motivados, diretores com instrumentos de gestão eficientes focados em metas/resultados educacionais e projetos pedagógicos baseados nas melhores práticas nacionais e internacionais”, explica Deschamps.         


Para a diretora de Educação Básica, Scheilla Marins, vários projetos desenvolvidos no ensino fundamental resultaram em processos de ensino-aprendizagem diferenciados e que, consequentemente, alçam as médias da Prova Brasil/SAEB e alavancam o índice do IDEB. A implantação do Ensino Fundamental de 9 anos (EF9) com foco na aprendizagem é um deles.


“O EF9 tem suas bases pedagógicas sustentadas nas habilidades de leitura, escrita e cálculo e, a partir da consolidação destas, a inserção do estudante nas diferentes áreas do conhecimento”, comenta. Tem ainda o PDE Escola; os  projetos focados no ensino integral; a Olimpíada da Língua Portuguesa; e ações em prol da alfabetização, letramento e cálculo nos anos iniciais. 


No Ensino Médio, a nota 4 obtida pela rede estadual de educação de Santa Catarina se deve a formação continuada realizada ao longo dos últimos 10 anos, com foco no trabalho pedagógico interdisciplinar e planejamento coletivo voltado aos conteúdos; o assessoramento na implantação do Ensino Médio Integrado à Educação Profissional (EMIEP); a mudança conceitual na forma de abordagem dos conteúdos curriculares, por área e de forma interdisciplinar, provocada pelo ENEM, transformando a prática pedagógica do professor; e a disponibilização de recursos didático-pedagógicos.


“Outro fator importante é a elevação da titulação dos professores, sendo mais de 60% pós-graduados”, comenta Scheilla.“O próximo passo é visitar as escolas com melhor desempenho para ver o trabalho que desenvolvem e que podem servir de exemplo para outras. Também vamos às escolas que não alcançaram a meta desejada para ver o que está faltando”, finaliza o secretário Deschamps.   


Escolas destaques


Melhores desempenhos no Ensino Fundamental Regular, Anos Iniciais, com nota 7,4: 


EEB Altamiro Guimarães - Antônio Carlos A Escola de Educação Básica Altamiro Guimarães desenvolve diferentes projetos e importantes ações que integram estudantes, professores, pais e a comunidade. Olimpíada de Astronomia, Química, Física, Língua Portuguesa e Matemática, esta desde 2006 obtendo as primeiras colocações, Feira de Ciências, Gincanas  e projetos  de literatura e matemática são alguns projetos que contribuem para o bom desempenho da escola no IDEB. O diretor, Jucélio Laudelino Schmitt, ressalta que o aprendizado ofertado na comunidade escolar é focado na realidade do aluno. “A EEB trabalha do 1º a 5º ano com a participação maciça da comunidade escolar e os dias letivos são cumpridos a risca, com alunos assíduos”, comenta. 


Diretor: Jucélio Laudelino Schmitt

Alunos: 1.153

Professores: 45 


EEF Porto Novo - ItapirangaO diretor Paulo Ludwig, da EEF Porto Novo, de Itapiranga, destaca o projeto de tempo integral como diferencial da escola. Os alunos além de terem as aulas do núcleo comum, também possuem aulas diversificadas e intercaladas no mesmo período. “Nosso currículo é vasto, incluindo aulas de xadrez, dança, música e natação. Além disso, há o trabalho realizado desde o ano passado, que visa a conscientização e o preparo para aumentar nossa média. Para isso, são aplicados exercícios e provas de preparação. Este ano os alunos terão provas interdisciplinares”, explica Ludwig.O horário de início das aulas é 07h30, com uma pausa 11h30 para o almoço e descanso, onde os alunos possuem colchonetes nas salas para dormir. Na parte da tarde, às 13h10 reiniciam as aulas que vão até as 15h30.


Alunos: 194

Professores: 28 


EEB Prof.  Germano Timm - Joinville Para o diretor a Carlos Castilho Wolff, a escola trabalha sobre três pilares: compromisso, seriedade e responsabilidade. “Isso representa o professor na escola. Acredito que educação é aluno + professor. Atribuo o bom resultado ao trabalho coletivo para que o nosso aluno se sinta desafiado a pensar, atrelado ao professor que acredita que a educação é transformadora. Sempre ressaltamos a coletividade e o trabalho em equipe”, afirma.Nos últimos três anos os alunos estão sendo incentivados a participarem dos vários concursos como as Olimpíadas de Matemática e de Língua Portuguesa. “A participação aumentou bastante. Também conversamos com os alunos a importância de estarem atentos às inovações”, explica o diretor.Simulados também estão no cronograma da escola e são realizados um no início do semestre e outro no final. Outro destaque é o Projeto Dinheiro Direto da Escola, no qual o Conselho Deliberativo da Escola (APPs, Grêmio Estudantil etc) se reúne para discutir onde serão aplicados os recursos do PDE, por exemplo.


Alunos: 588

Professores: 43 


EEB São Bento - São Bento do Sul Destaque nas séries iniciais e finais do ensino fundamental, a EEB São Bento destaca o trabalho em equipe desenvolvido pelos professores, pela direção e pelas famílias. “Nossos alunos participam de vários concursos como Olimpíadas de Matemática, de Língua Portuguesa e outras áreas do conhecimento como a Arte. Nos preocupamos com o nosso próprio planejamento e isso tem trazido bons resultados”, afirma a diretora Zuleika Maria Souza Voltoloni.


Alunos: 1.092

Professores: 40 


Melhor desempenho no Ensino Fundamental Regular, Anos Finais, com nota 6,2: 


EEB São Bento - São Bento do Sul 


Informações IDEB 

Criado em 2007 com objetivo de medir a qualidade de cada escola e de cada rede de ensino, o IDEB é calculado com base no desempenho do estudante em avaliação, como o Prova Brasil, e em taxas de aprovação. Desta forma, para que o índice de uma escola ou rede cresça é preciso que o aluno aprenda, não repita o ano e frequente a sala de aula.O índice é medido a cada dois anos e o objetivo é que o país, a partir do alcance das metas municipais e estaduais, tenha nota 6 em 2022 – correspondente à qualidade do ensino em países desenvolvidos. Em muitas escolas catarinenses esse índice já foi superado.A Prova Brasil e o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) são avaliações para diagnóstico, em larga escala, desenvolvidas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC).


Tem o objetivo de avaliar a qualidade do ensino oferecido pelo sistema educacional brasileiro a partir de testes padronizados e questionários socioeconômicos.Nos testes aplicados no quinto ano e na oitava série do ensino fundamental, de forma censitária, e na terceira série do ensino médio, por amostragem, os estudantes respondem a questões de língua portuguesa e matemática. No questionário socioeconômico, os estudantes fornecem informações sobre fatores de contexto que podem estar associados ao desempenho. Professores e diretores das turmas e escolas avaliadas também respondem a questionários que coletam dados demográficos, perfil profissional e de condições de trabalho.


Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina

16/8/2012

Acompanhe no facebook

Copyright © 2014. Consed - Conselho Nacional de Secretários de Educação. Desenvolvido por ConsisTI