NOTÍCIAS

Base Nacional Comum Curricular 12:07, 5 jul 2021 Novo Currículo incentiva estudantes a construírem projetos de vida

Foto:

O aluno terá liberdade de escolha em suas formações, visando o desenvolvimento intelectual, físico, social, emocional e cultural.

A mudança na educação piauiense vem acontecendo há alguns anos e isso tem impacto com o surgimento de novos mecanismos de aprendizagem para quem ensina e aprende, com a proposta de uma educação integral com estudantes incentivados a terem conhecimentos, habilidades, atitudes e valores. O Novo Ensino Médio (EM) já é realidade em muitas escolas e a efetiva implementação dará mais oportunidades de ampliação do trabalho pedagógico que incentive a construção de cidadãos conscientes de seus papéis sociais.


SAIBA MAIS SOBRE O NOVO ENSINO MÉDIO


Dividido em uma Formação Geral Básica (FGB) - o que representa a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) - e os Itinerários Formativos, o novo currículo para o Ensino Médio foi construído para dar ao estudante a possibilidade de passar pela etapa final da Educação Básica tendo oportunidade de escolher um itinerário para seguir. Assim, a etapa do Ensino Médio terá uma carga horária de 1.800 para a FGB e 1.200 para os Itinerários (exceto nas escolas de tempo integral) e essa carga horária flexível será apresentada de forma que permita ao jovem vivenciar essa possibilidade desde a 1° série, a partir da vivência com o Projeto de Vida e as eletivas de curta duração.


"Mais do que aulas comuns, em sala de aula, o Novo EM estimula a criação de módulos, núcleos de estudos, observatórios, clubes, oficinas e projetos dentre outras formas de organização curricular. Já os itinerários formativos deverão atingir 4 objetivos, de acordo com as referências curriculares feitas pelo Ministério da Educação, que são: aprofundar e ampliar as aprendizagens, consolidar a formação integral dos estudantes, promover a incorporação de valores e ampliar a visão de mundo", explica a coordenadora de etapas do Novo EM no Piauí, Elenice Nery. 


Na prática, o que acontecerá é mais liberdade de escolha para os estudantes para protagonizarem suas formações visando ao desenvolvimento intelectual, físico, social, emocional e cultural. Muito mais de que aprender conteúdo, o estudante precisa saber o que fazer com o conteúdo aprendido em sala de aula, para formatar seus projetos de vida. 


"Todas essas mudanças e direcionamentos estão sendo acompanhadas pelo Conselho Estadual de Educação (CEE) para aprovação de normativas e diretrizes que servirão de orientação para as instituições de ensino, tanto públicas como privadas. As atividades fora da escola também serão regulamentadas pelo Conselho e tudo isso cria um ambiente harmônico e dá segurança no processo", explica Elenice.


Tags: PI Base Nacional Comum Curricular