ENSINO MÉDIO

Esse é um dos dez temas estratégicos da Agenda da Aprendizagem 2021/2022, que reúne as prioridades dos gestores de Educação dos estados e municípios no biênio.

É por meio do trabalho da Frente do Ensino Médio que os estados constróem juntos, há cinco anos, os currículos e a arquitetura do Novo Ensino Médio.

Centenas de técnicos estaduais estão envolvidos na construção dos currículos e da nova arquitetura. Entre os convidados por estado para participar dos momentos formativos da Frente, existem perfis diferentes de profissionais, que buscam contribuir em suas áreas de atuação, como coordenadores estaduais da BNCC, coordenadores de Educação Profissional, articuladores de Itinerários, coordenadores pedagógicos de Educação em Tempo Integral e os responsáveis pelo Ensino Médio nas secretarias.

MAPA DA IMPLEMENTAÇÃO

Mesmo na pandemia, as secretarias estaduais deram continuidade ao trabalho. A seguir, veja como está a implementação nos estados.

 

ACOMPANHAMENTO POR ESTADO

Atualizado em 27 de janeiro de 2022 l 13:28

A implementação do Ensino Médio nas escolas estaduais do Acre começou gradativamente em 2019 com 10 escolas "piloto". Ampliou em 2020 para 14, sendo as 4 novas escolas de tempo integral. Nesses dois primeiros anos todas as escolas eram somente de Rio Branco.

Em 2021 esse quantitativo foi para 27 unidades com algumas escolas localizadas em municípios do interior e da educação do campo. Para 2022, 100% das escolas da rede estarão trabalhando com o novo currículo do Ensino Médio nas primeiras séries, em escolas urbanas e rurais, que ofertam tanto o ensino parcial quanto em tempo integral.
 

Desde 2019 a rede pública estadual vem se preparando para a implementação do Novo Ensino Médio. Naquele ano, 162 escolas públicas estaduais de ensino médio receberam recursos do Programa Dinheiro Direto na Escola - PDDE Novo Ensino Médio. Cada uma dessas escolas elaborou, para aplicar esse recurso, uma Proposta de Flexibilização Curricular, com foco na implantação de ateliês pedagógicos, na formação continuada de professores nas temáticas do Novo Ensino Médio, protagonismo juvenil e projeto de vida.

O Referencial Curricular de Alagoas para o Ensino Médio que trata da implementação da Base Nacional Comum Curricular no sistema estadual de educação foi elaborado e está em análise pelo Conselho Estadual de Educação.

A secretaria também tem construído materiais de orientação e cadernos pedagógicos; realizado formações, reuniões preparatórias com equipes técnicas da sede e das Gerências Regionais de Educação, e escolas,  para implementação do novo currículo no ensino médio. 

Programas lançados recentemente têm atuação que se integra a essa implementação, como o Programa Professor Mentor, Vem que dá Tempo e Bolsa Escola 10. O Programa Professor Mentor, por exemplo, tem entre outros objetivos desenvolver o Projeto de Vida e contribuir com a implementação do Referencial Curricular de Alagoas.

 

O Amapá ofertará o Novo Ensino Médio para todas as suas 122 escolas de Ensino Médio da rede estadual em 2022, iniciando com a carga horária ampliada.

 

undefined

O Currículo de Referência está homologado e a rede estadual já começará a ofertar o Novo Ensino Médio a partir de 2022 para os alunos da 1ª série da etapa de ensino.

undefined

A Bahia finalizou, em agosto de 2021, a consulta pública do Documento Curricular Referencial Bahia (DCRB) do Ensino Médio e posteriormente enviou para apreciação do Conselho Estadual de Educação, no mês de novembro.

A consulta pública e o diálogo com diferentes atores contribuiu para que o DCRB do Ensino Médio contemplasse a diversidade e particularidade da Bahia, evidenciando a identidade do povo baiano. 

Escolas da rede desenvolveram, em 2021, um currículo de transição na implementação do Novo Ensino Médio, na 1ª série, atendendo prerrogativas da Lei 13.415/17 do MEC. E em 2022, a proposta é que 100% já estarão adotando a nova arquitetura curricular nas turmas de 1ª série e de forma gradual, as demais séries, até 2024.

undefined

O Documento Curricular Referencial do Ceará (DCRC), elaborado pela Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc), com colaborações de diversos atores da sociedade civil, foi homologado e regulamentado pelo Conselho Estadual de Educação (CEE).  

A implementação do Novo Ensino Médio acontecerá em todas as escolas que ofertam o Ensino Médio, de forma gradual, iniciando com a 1ª série em 2022, sendo ampliado para a 2ª série em 2023 e concluindo o ciclo em 2024, com a 3ª série.

Dentre as principais alterações previstas com o Novo Ensino Médio, estão a ampliação da carga horária anual para 1000h, a reorganização curricular, a elaboração de uma Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e de Referências para os Itinerários Formativos. 

A mudança prevê a diversificação de conhecimentos, propiciada pelas unidades curriculares eletivas, que são aquelas escolhidas pelo próprio aluno, de acordo com seus interesses. Outra característica deste modelo é a possibilidade de aprofundamento, por parte dos estudantes, em determinadas áreas do conhecimento. Estes dois aspectos compõem os chamados “itinerários formativos”.

Além disso, o estudante contará com tempo dedicado para a construção do projeto de vida, que focará na busca pelo autoconhecimento. Assim, espera-se que o jovem consiga identificar os caminhos que deseja trilhar e aprenda a tomar decisões conscientes e responsáveis.

Sobre os itinerários formativos

Para o ano letivo de 2022, as escolas da rede pública estadual de ensino do Ceará ofertarão, em seus itinerários formativos, unidades curriculares eletivas das quatro áreas do conhecimento. A escolha da área em que os alunos irão se aprofundar acontecerá quando estiverem cursando a 2ª série, por meio das Trilhas de Aprofundamento.

Rede pública estadual

A Seduc vem desenvolvendo na rede pública estadual a oferta de uma aprendizagem com diversas oportunidades nas áreas do conhecimento e na formação profissional, com ampliação de carga horária, preparação dos jovens para o mundo do trabalho, além de três componentes curriculares: projeto de vida, formação para a cidadania e o Núcleo de Trabalho, Pesquisa e Práticas sociais (NTPPS), que convergem com as orientações do Novo Ensino Médio.

Educa Mais

Todo o trabalho planejado e desenvolvido pela Seduc integra o Programa Ceará Educa Mais, constituído de 25 ações destinadas à progressiva melhoria da qualidade da educação cearense.  O programa está fundamentado em oito eixos: Aperfeiçoamento pedagógico; Desenvolvimento e Qualificação dos Professores; Avanço na Aprendizagem; Tempo Integral; Cuidado e Inclusão; Preparação para o Enem; Educação Conectada; e Qualificação Acadêmica e Profissional dos Estudantes.

Tempo Integral

A ampliação progressiva do tempo integral é meta do governo estadual. O Ceará conta atualmente com 324 escolas com jornada ampliada. São 123 Escolas Estaduais de Educação Profissional e 201 de Ensino Médio Regular em Tempo Integral. As Escolas Profissionais ofertam o ensino médio integrado aos cursos técnicos. Já as Escolas de Ensino Médio Regular em Tempo Integral contam com um currículo composto de disciplinas da base comum e 15 horas na parte flexível, sendo que 10 são escolhidas pelos alunos.


Política de Desenvolvimento de Competências Socioemocionais

A escola é considerada um espaço de respeito aos direitos humanos e de construção de cidadania. Em 2018, a Seduc lançou a Política de Desenvolvimento de Competências Socioemocionais para a rede pública estadual de ensino. As Competências Socioemocionais foram incluídas no currículo das escolas, visando ao crescimento pessoal dos estudantes, à construção de projetos de vida, bem como à preparação para a trajetória acadêmica e profissional.

Ao todo, nove iniciativas compõem o conjunto de ações desta Política. Elas têm o objetivo de promover reflexões sobre o jovem, em suas diversas fases da vida, com ênfase em projetos futuros, de modo a levá-lo à aspiração a uma vida saudável e que dialogue com os seus interesses e talentos.

Protagonismo Estudantil

A Seduc dispõe de uma Coordenadoria de Protagonismo Estudantil, que é responsável pela gestão e operacionalização de ações e iniciativas nas escolas da rede estadual de ensino. A Secretaria entende o protagonismo como elemento fundamental na formação dos estudantes como pessoas humanas, futuros profissionais, cidadãos e potenciais agentes de transformações positivas em suas comunidades, na medida em que compreendem seu papel na sociedade atual.

Educação de Jovens e Adultos (EJA) + Qualificação Profissional

Tem como objetivo contribuir para a implementação da política da educação de jovens de adultos articulada com a qualificação profissional, comprometida com a inclusão e garantia do direito à aprendizagem ao longo da vida. 

O público-alvo da EJA + Qualificação Profissional são os jovens adultos, a partir de 18 anos, que concluíram o ensino fundamental e estão fora da escola ou iniciaram o ensino médio e abandonaram os estudos, além dos alunos egressos do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem).

É uma proposta inovadora de reorganização da oferta da modalidade EJA com alternativas metodológicas, adequadas aos tempos pedagógicos e espaços de aprendizagem aos interesses, necessidades e saberes dos sujeitos da EJA, construindo novas perspectivas de qualificação profissional.

Ensino Médio Noturno + Qualificação Profissional

O Ensino Médio Noturno + Qualificação Profissional associa a educação ao mundo do trabalho e compromete-se com um currículo mais aberto, flexível e participativo, de modo que os saberes formais, provenientes do mundo da ciência, tecnologia e turismo, assim como os informais, provenientes da vida cotidiana e do mundo do trabalho, sejam aproveitados de maneira adequada pelos jovens, valorizando suas respectivas culturas e suas diferentes formas de produzir.

Dessa forma, o Ensino Médio Noturno + Qualificação Profissional propõe-se ao desenvolvimento de competências e habilidades específicas que permitam a inserção e preparação do educando para o mundo do trabalho.

No Distrito Federal, o Novo Ensino Médio teve início em 2020, por meio de escolas-piloto. Deverá ser aplicado em todas as escolas, a partir de 2022, de forma progressiva: 

↳ 2022 – 1ªs séries

↳ 2023 – 1ªs e 2ªs séries

↳ 2024 – 1ªs, 2 ªs e 3ªs séries

undefined

O Currículo de Referência está homologado e a rede estadual já começará a ofertar o Novo Ensino Médio a partir de 2022 para os alunos da 1ª série da etapa de ensino.

 

O Novo Ensino Médio está sendo implementado no Espírito Santo em cumprimento à Lei Federal Nº 13.415/17 e em cumprimento à Resolução CNE/CEB Nº 3/2018, e utiliza, como primeiro grande passo para a implementação, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio, homologada em 04 de dezembro de 2018, como documento referência para a (re)elaboração do Currículo da Rede Estadual do Espírito Santo, juntamente com os Referenciais Curriculares, para elaboração dos Itinerários Formativos.

Uma das ações da Secretaria de Estado da Educação (Sedu) foi realizar o “Processo de Escuta”, que teve como objetivo compreender as expectativas dos estudantes e da sociedade capixaba como um todo para o Novo Currículo do Ensino Médio.  Todos os interessados tiveram a oportunidade de participar da Consulta pública, aberta no dia 21 de outubro, às 19h, disponível no site da Sedu até o dia 11 de novembro de 2019. E, de 23 de novembro a 10 de dezembro de 2020, a sociedade pôde, em nova Consulta pública, realizar considerações e sugestões para as várias proposições apresentadas pela equipe de redatores, visando agora, o aperfeiçoamento dos Itinerários Formativos de Aprofundamento.

As pesquisas diagnósticas serviram para traçar diretrizes para a oferta dos Itinerários Formativos em toda a Rede, além de subsidiar a produção feita pelos redatores do Novo Currículo, que incluem a área de aprofundamento que o estudante poderá escolher e as unidades curriculares da Base Nacional Comum.

Cada componente curricular previsto na BNCC está sendo ainda mais valorizado ao ser ofertado, para além da Base, dentro dos Itinerários de Aprofundamento, sendo por área, ou entre áreas do conhecimento. Como pode-se observar no Catálogo de Itinerários produzido pela Sedu, os componentes curriculares de Ciências Humanas aparecem também nos Itinerários “Modernização, Transformação e Meio Ambiente”, “Humanidades e Relações Socioambientais”, “Narrativas Socioliterárias” e “Aspirações docentes”. Ainda no Catálogo, os componentes curriculares de Ciências da Natureza aparecem nos Itinerários “Terra, Vida e Cosmos”, “O Esporte, a Ciência e suas linguagens”, “Energias Renováveis e Eficiência energética” e “Aspirações Docentes”.

Essa oferta favorece carga horária para os professores dentro de uma mesma escola, visto que, tanto as aulas dos Itinerários de Aprofundamento quanto as aulas dos Componentes Integradores, Estudo Orientado, Projeto de Vida e Eletivas, serão ministradas pelos profissionais habilitados nas respectivas áreas do conhecimento. Para esses últimos, a Sedu já oferta formação para os professores da rede.

Os conteúdos previstos pelos Componentes Curriculares da Base, quando trabalhados com metodologias ativas, podem favorecer o desenvolvimento do estudante protagonista e autônomo. E, aliados a eles, os Itinerários de Aprofundamento e os Componentes Integradores, podem ampliar essa oportunidade de desenvolvimento de habilidades que o tornarão, consequentemente, um cidadão mais consciente e atuante na sociedade.

No caso específico dos professores de geografia, a Sedu reconhece, seu inegável valor histórico junto à sociedade. A nova proposta de trabalho por área e entre áreas do conhecimento pretende agregar valor e significado às reflexões sociais, políticas e ambientais, unindo forças entre a Geografia e demais componentes curriculares, tornando assim a aprendizagem mais crítica e significativa.
 
A Sedu acredita que as mudanças no Ensino Médio favorecem a autonomia e o protagonismo, não só do estudante mas também da escola e de seus profissionais, visto que a parte diversificada do currículo está elaborada a partir das áreas do conhecimento em que os profissionais da educação foram habilitados e que todos poderão participar do processo de escolha: a escola escolhe qual itinerário vai oferecer conforme realidade local e o estudante escolhe onde e qual Itinerário estudar. A garantia de atuação dos profissionais aparece sempre que este se propõe a inovar, como vem fazendo brilhantemente neste tempo de pandemia. Inovação faz parte da educação capixaba.

Com o intuito de implementar as políticas educacionais de forma coletiva e de tornar a inovação no Ensino Médio mais tranquila e prazerosa para todos os envolvidos no processo, a Sedu, além das escutas realizadas através de consulta pública, vem dialogando com as escolas, através de lives, de reuniões com diretores, supervisores, pedagogos e PCA, nas escolas e na própria Sedu.
 

O Maranhão optou por um caminho dialógico na construção das suas diretrizes e propostas, demandando maior tempo para a discussão e construção dos documentos curriculares. No entanto, o Estado tem cumprido os prazos estabelecidos pela Lei 13.415/2017 e deve encaminhar o referencial curricular para o Conselho Estadual de Educação no dia 27 de novembro.

Mesmo num processo efetivo de mitigação dos impactos pandemia da COVID, o estado vem desenvolvendo as etapas de implementação da Lei 13.415, com Reformulação do Referencial Curricular, Webinários para discussão das mudanças, Rodas de Conversas com Professores, Estudantes e Gestores das redes públicas e privadas, Acompanhamento e monitoramento da implementação da nova Matriz nas Escolas Pilotos.
 
O Estado já iniciou o processo de implementação nas Escolas Pilotos e expandirá a partir do calendário letivo de 2022, de forma gradual por série. Portanto, as inovações curriculares serão implementadas em todas as 1ª séries do Ensino Médio neste ano.

 

A partir de fevereiro de 2022, estudantes da 1ª série do Ensino Médio de 425 escolas terão acesso à nova organização curricular. Conforme a Lei n° 13.415/2017, o novo modelo de ensino será implantado de forma gradual, e até 2024 será realidade em todas as escolas que ofertam Ensino Médio. Os profissionais da educação passaram por capacitação para se adequarem ao novo formato.

 

Com 122 unidades escolares operando com um "piloto" do Novo Ensino Médio, a implementação foi iniciada ainda em 2021. Agora, neste ano de 2022, a oferta do Novo EM estará disponível em todas as escolas que trabalham com o Ensino Médio na Rede Estadual de Ensino.

 

O Currículo de Referência está homologado e a rede estadual já começará a ofertar o Novo Ensino Médio a partir de 2022 para os alunos da 1ª série da etapa de ensino.

undefined

O Currículo de Referência está homologado e a rede estadual já começará a ofertar o Novo Ensino Médio a partir de 2022 para os alunos da 1ª série da etapa de ensino.

 

Em 2022, a Educação da Paraíba iniciará a implementação do Novo Ensino Médio com a 1ª série. As escolas irão ofertar um currículo com a Formação Geral Básica (60%) e a Flexibilização Curricular (40%). Na rede estadual, os estudantes terão acesso a três itinerários Formativos de aprofundamento nas áreas de conhecimento, um itinerário integrado para a escolas com apenas uma turma de ensino médio e a oferta de certa de 40 cursos técnicos como 5º Itinerário (EPT). As escolas de ensino regular ofertarão currículo de 1.000 horas, as escolas em tempo integral propedêutica e técnicas 1.400 horas.

Todas as definições foram definidas no Plano de Implementação do Novo Ensino Médio, conforme Lei 13.415/2017 e currículo do Estado da Paraíba.

undefined

Em 2021, a Secretaria estadual da Educação e do Esporte trabalhou ao lado da comunidade escolar para dar início ao processo de implementação do Novo Ensino Médio. O modelo, previsto pela Lei Federal nº 13.415/2017, propõe mudanças na carga horária e na organização curricular de escolas das redes de ensino públicas e privadas de todo o Brasil, que valem a partir de 2022.

As transformações na estrutura do Ensino Médio têm como objetivo incentivar o papel protagonista dos estudantes, valorizando suas aptidões e interesses.

No Paraná, a entrega simbólica do referencial curricular e das diretrizes complementares referentes à implementação do Novo Ensino Médio aconteceu em 6 de agosto, em reunião entre a Seed-PR e o Conselho Estadual de Educação (CEE/PR). No mesmo mês, houve a homologação dos documentos e a publicação no Diário Oficial.

A documentação contempla questões como carga horária, proposta pedagógica, avaliação e verificação de rendimento dos estudantes, além da estrutura da Formação Geral Básica e da organização e forma de oferta dos itinerários formativos. Confira, abaixo, as principais mudanças do Novo Ensino Médio e as ações promovidas pela Seed-PR ao longo do ano, visando à preparação para o novo modelo.

ITINERÁRIOS FORMATIVOS - Além dos conteúdos obrigatórios da Formação Geral Básica, o estudante do Novo Ensino Médio poderá escolher um itinerário formativo, para se aprofundar ainda mais nos conhecimentos que despertam seu interesse e aptidão. O itinerário é como um conjunto de trilhas de aprendizagem que podem ser organizadas a partir de uma ou mais áreas do conhecimento.

São elas: Matemática e suas Tecnologias; Linguagens e suas Tecnologias; Ciências Humanas e Sociais Aplicadas; e Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Existe, ainda, a possibilidade de escolher um itinerário de formação técnica (com cursos que estão no Catálogo Nacional de Cursos Técnicos) ou profissionalizante, como a formação de docentes.

Cada instituição de ensino oferecerá itinerários de acordo com as necessidades locais. Uma possibilidade é a oferta de itinerários formativos integrados, que unem mais de uma área do conhecimento, como o itinerário de Linguagens & Ciências Humanas ou o itinerário de Matemática & Ciências da Natureza. Os estudantes poderão escolher o itinerário conforme a oferta da sua escola.

As escolas disponibilizarão ainda outros componentes, como Educação Financeira, Pensamento Computacional e Projeto de Vida, que serão fundamentais para apoiar os estudantes na escolha pelo itinerário.

FORMAÇÃO - Ao longo do ano, a secretaria promoveu ações de formação para preparar os profissionais da educação para  implementar o novo modelo. Entre novembro e dezembro, aconteceu o Seminário de Formação sobre o Novo Ensino Médio, destinado a professores. Já em setembro e outubro, houve uma série de oficinas presenciais de formação com os pedagogos. Os diretores, por sua vez, tiveram reuniões com a Seed-PR acerca do Novo Ensino Médio nos meses de agosto e setembro.

CONSULTAS À COMUNIDADE - A secretaria realizou, ainda, consultas à comunidade, com o objetivo de receber contribuições e sugestões sobre o Novo Ensino Médio. Estudantes, pais, professores, funcionários de escolas e a comunidade em geral puderam ter acesso aos documentos que detalham a proposta e contribuir para o seu aperfeiçoamento. Houve uma consulta em fevereiro, a respeito do referencial curricular, e outra nos meses de outubro e novembro, a respeito do currículo do Novo Ensino Médio.
 

Considerando o prazo determinado pela lei 13.415/2017, estaremos iniciando a implementação do Novo Ensino Médio a partir deste ano (2022) nas turmas do 1º Ano. A partir deste ano todas as escolas da rede que ofertam o ensino médio estarão vivenciando pelo menos 3.000h relógio (além das escolas em tempo integral com 3.500h e 4.500h e escolas técnicas estaduais com 4.500h) com o início da implementação do novo currículo envolvendo a formação geral básica e os itinerários formativos.

 

undefined

O Currículo de Referência está homologado e a rede estadual já começará a ofertar o Novo Ensino Médio a partir de 2022 para os alunos da 1ª série da etapa de ensino.

 

undefined

O Currículo de Referência está homologado e a rede estadual já começará a ofertar o Novo Ensino Médio a partir de 2022 para os alunos da 1ª série da etapa de ensino.

 

O Currículo de Referência do Rio Grande do Norte já foi homologado e a rede estadual já começará a ofertar o Novo Ensino Médio a partir de 2022 para os alunos da 1ª série da etapa de ensino.

 

O Referencial Curricular Gaúcho do Ensino Médio foi homologado, no dia 20 de outubro de 2021, pelo Conselho Estadual de Educação (Ceed) do Rio Grande do Sul. A partir desta decisão, foi dada a continuidade do Plano de Implementação que prevê a oferta do Ensino Médio nesta nova estrutura em todas as escolas estaduais da etapa, além da consolidação de materiais didáticos e a formação de professores.

Pela proposta, o primeiro ano, que inicia em 2022, contempla a formação geral básica. Nessa etapa, o aluno tem as disciplinas normais de formação geral: Língua Portuguesa, Matemática, Inglês, Artes, entre outras, além de carga horária destinada a seu Projeto de Vida e sua relação com o mundo do trabalho. No segundo ano, que iniciará em 2023, depois de o aluno trabalhar seu Projeto de Vida, ele poderá optar por itinerários formativos que contemplem seus interesses e anseios.

 

A secretaria elaborou o Referencial Curricular que foi encaminhado ao Conselho Estadual de Rondônia - CEE/RO para analise e homologação. O estado tambpem adquiriu experiência com as 20 escolas pilotos que já ofertaram o Novo Ensino Médio em 2020 e 2021.

Também foram realizadas Formações Continuadas para Coordenadores Regionais, Gestores Escolares e Professores com vista para implementação do Novo Ensino Médio em 2022, bem como contratação de novos professores para suprir as novas necessidades. Foram elaboradas ainda a Matrizes Curriculares para o Novo Ensino Médio .

 

O Currículo de Referência de Roraima já foi homologado e o Novo Ensino Médio será implementado em 14 escolas, sendo oito na capital, uma indígena e seis localizadas nos municípios do interior, atendendo 8.825 estudantes. 

A equipe pedagógica da secretaria e os profissionais que atuam nestas unidades escolares passaram por formações para a efetiva implementação desse novo modelo de ensino, que será expandido até 2024, para as 166 escolas da rede que ofertam esta etapa de ensino, alcançando então 20.608 estudantes. As formações serão contínuas ao longo de todo o processo de implementação.

 

Santa Catarina já havia implementado o Novo Ensino Médio em 120 escolas-piloto do Estado e, a partir de 2022, terá a novidade em todas as 711 escolas de Ensino Médio da rede estadual. O estado foi o primeiro a  ter o Currículo Base do Ensino Médio homologado pelo Conselho Estadual de Educação - com um portifólio de 25 componentes curriculares eletivos e 25 trilhas de aprofundamento, e a entregar o Plano de Implementação do Novo Ensino Médio ao Ministério da Educação.

 

Em 2019, houve formação para os componentes do Programa Inova (três novos componentes: Inovação e Tecnologia, Eletivas e Projeto de Vida); e foram realizados mais de 1.600 seminários, para consulta pública do Curriculo, com a participação de mais de 140 mil estudantes e 18 mil professores.

Em 2020, ocorreu o início dos novos componentes Inova; a Consulta pública com 400 mil contribuições ao currículo; e a Construção do documento curricular da etapa do ensino médio.
Disponível em: https://efape.educacao.sp.gov.br/curriculopaulista/wp-content/uploads/2020/08/CURR%C3%8DCULO%20PAULISTA%20etapa%20Ensino%20M%C3%A9dio.pdf

Também foi homologado o currículo para a etapa do ensino médio. Disponível em:
https://docs.google.com/document/d/1I23JS65waUM8CW4DVYbTI5glKrqWTYqmd7ezw81xVDU/edit?usp=sharing
 Início de formações continuadas de professores, que já somam mais de 100 horas de formações online e presenciais, inclusive de forma regional, nas 91 Diretorias de Ensino (DEs).

Houve a formação para os técnicos da secretaria de Educação e a construção de materiais didáticos para a Formação Geral Básica para professores e estudantes
Disponível em:

https://efape.educacao.sp.gov.br/curriculopaulista/wp-content/uploads/2020/08/CURR%C3%8DCULO%20PAULISTA%20etapa%20Ensino%20M%C3%A9dio.pdf

Em 2021, foi iniciada a implementação do novo currículo para todos os estudantes da 1ª série. Também pcprreu uma articulação com CEE/SP para normatizar as ações que viabilizem o desenvolvimento do currículo e a construção da nova arquitetura do ensino médio.
Disponível em: http://www.ceesp.sp.gov.br/ceesp/textos/2020/Del%20186%202020.pdf

Construção site para comunicação com a rede
Disponível em: https://novoensinomedio.educacao.sp.gov.br/

Definição das matrizes curriculares com 3510 horas para o diurno e 3000 horas para o noturno. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1P053sKKiqJKJcMrAnGKUPAVZXETTHQJL/view?usp=sharing

Formação para gestores e coordenadores pedagógicos das unidades escolares
Construção dos materiais dos itinerários formativos - MAPPAS (Materiais Didáticos de Apoio à Implementação dos Aprofundamentos), que são os documentos orientadores par os itinerários formativos. Disponível em: https://novoensinomedio.educacao.sp.gov.br/assets/docs_ni/Catalogo_Detalhado_dos_Aprofundamentos_Curriculares_final.pdf

Definição do rol de oferta de cada unidade escolar para início em 2022, para as turmas de 2ª série.
Formação em ATPC para professores
Elaboração de curso presencial com Diretores de Núcleo Pedagógico (das 91 Diretorias de Ensino) para iniciar em novembro/21

Desde 2018, a Educação de Sergipe mantém diálogo com os entes do Magistério, inclusive com um coletivo formado por representantes da comunidade escolar e representantes sindicais, a fim de que as diretrizes para o Novo Ensino Médio no estado sejam validadas com amplo diálogo. Isso também foi feito por meio das consultas públicas do Currículo de Sergipe Etapa Ensino Médio, tanto na Formação Geral Básica, como nos Itinerários Formativos. Além disso, todo o processo e documentos que regem o Novo Ensino Médio na rede estadual foram devidamente regulamentados pelo Conselho Estadual de Educação.

O Novo Ensino Médio na rede estadual será ampliado de forma gradativa, em 2022 com as turmas de 1ª série, para as escolas não piloto do ProNEM, em 2023 com as turmas de 2ª série e em 2024 com as turmas de 3ª série.

Sergipe conta com 33 escolas-pilotos do ProNEM, que já executaram a matriz do Novo Ensino Médio em 2021 nas turmas de 1ª série, beneficiando mais de 17 mil estudantes matriculados. Em 2022, todas as escolas da rede estadual passarão a funcionar de acordo com as diretrizes federais.
 

O estado de Tocantins irá implementar o Novo Ensino Médio de forma sustentável. Em 2022 iniciará as 1ª series ofertando projeto de vida e eletivas. As trilhas, a partir de 2023 nas segundas séries. 

Apenas as turmas multisseriadas terão as unidades curriculares completas. Tendo em vista a ampliação do tempo, há previsão da oferta não presencial em alguns componentes e unidades curriculares.

 

MATERIAIS DE APOIO DA FRENTE

Abra o Infográfico e tenha acesso a uma proposta de percurso para entender melhor o Novo Ensino Médio, do ponto de vista normativo, curricular e da implementação

 

Portarias e resoluções

PORTARIA Nº 1.145, DE 10 DE OUTUBRO DE 2016 - DOU - Imprensa Nacional - Institui o Programa de Fomento à Implementação de Escolas em Tempo Integral, criada pela Medida Provisória no 746, de22 de setembro de 2016.

RESOLUÇÃO Nº 7, DE 3 DE NOVEMBRO DE 2016 - Estabelece os procedimentos para a transferência de recursos de fomento à implantação de escolas de ensino médio em tempo integral nas redes públicas dos Estados e do Distrito Federal.

LEI Nº 13.415, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2017 - Institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral.

PORTARIA Nº 727, DE 13 DE JUNHO DE 2017 - Imprensa Nacional - Estabelece novas diretrizes, novos parâmetros e critérios para o Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral - EMTI, em conformidade com a Lei no 13.415, de 16 de fevereiro de 2017.

RESOLUÇÃO NO 16, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2017 - Estabelece os procedimentos para a transferência de recursos para fomento à implantação de escolas de ensino médio em tempo integral nas redes públicas dos estados e do Distrito Federal.

Resolução FNDE nº 16, de 7 de dezembro de 2017 - Anexo 1 - Despesas passíveis de execução com recursos do Programa

Resolução FNDE nº 16, de 7 de dezembro de 2017 - Anexo 2 - MANUAL DE EXECUÇÃO FINANCEIRA DO PROGRAMA DE FOMENTO ÀS ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO EM TEMPO INTEGRAL

PORTARIA Nº 2.116, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2019 - Estabelece novas diretrizes, novos parâmetros e critérios para o Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral - EMTI, em conformidade com a Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017.

PORTARIA Nº 22, DE 14 DE AGOSTO DE 2020 - Altera a Portaria nº 19, de 6 de agosto de 2020, da Secretaria de Educação Básica - SEB, que divulga a relação de estados que estão aptos a receber recursos referentes ao Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, bem como autoriza o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação a realizar o empenho de recursos financeiros àqueles entes.

RESOLUÇÃO Nº 17, DE 7 DE OUTUBRO DE 2020 - Estabelece os procedimentos para transferência de recursos para fomento à implantação de escolas de ensino médio em tempo integral nas redes públicas dos estados e do Distrito Federal.

10 RESOLUÇÃO Nº 04, DE 20 DE ABRIL DE 2021 - Altera a Resolução CD/FNDE nº 17, de 7 de outubro de 2020, que estabelece os procedimentos para a transferência de recursos para fomento à implantação de escolas de ensino médio em tempo integral nas redes públicas dos Estados e do Distrito Federal.

 

Coletânea de materiais

Coletânea de materiais

 

Ferramentas

Plataforma de diagnóstico de condições de oferta

Como implementar o Novo EM no meu estado?

Parâmetros de Qualidade para Avaliação do Currículo do Ensino Médio

BNCC Comentada para o Ensino Médio

Ferramenta para apoiar a realização de Rodas de Conversa

Nossa Escola em (Re)Construção: ferramenta de pesquisa aberta e gratuita para que redes e escolas possam escutar seus estudantes

Produtos